1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

RIO VERDE | Governo deverá transferir 150 policiais militares para o município

Por Eduardo Candido 09 Dezembro 2015 Publicado em Segurança
Votao
(0 votos)
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução

O governo do Estado de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSP-GO), deverá aumentar o efetivo da Polícia Militar de Rio Verde (GO), para que supere o número de 300 agentes.


A decisão, em sede de liminar, é do juiz da comarca Márcio Morrone Xavier, da Vara das Fazendas Públicas, Registros Públicos e Ambiental, que considerou que há, apenas, 173 policiais para atender o município e região. O descumprimento da medida implica em multa diária de R$ 5 mil, que deverá ser revertida ao Conselho de Segurança local.


Proposta pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), a ação trouxe comparativos numéricos da força policial de outras cidades do interior de Goiás com Rio Verde. Segundo consta dos autos, Águas Lindas e Luziânia, com populações inferiores e índices de criminalidade similares, têm, respectivamente, 373 e 269 servidores na corporação. As cidades de Formosa, Valparaíso de Goiás, Caldas Novas, Trindade e Catalão – todas com quantidade de habitantes inferior a Rio Verde – contam, conforme apontou a petição inicial, com mais policiais.


Antes de ajuizar o pleito, o órgão ministerial alegou que foi realizada audiência pública em outubro deste ano, a fim de debater o problema da segurança pública. No dia seguinte ao evento, foi, inclusive, expedida recomendação ao governador do Estado e ao secretário de Segurança Pública para que se procedesse com a distribuição proporcional dos policiais militares nos municípios goianos.


Para conceder a liminar, Morrone Xavier observou que os argumentos apresentados pelo órgão ministerial são verossímeis, conforme documentação juntada ao processo. Para o magistrado, a postura estatal fere o disposto no artigo 144 da Constituição Federal, que versa sobre o dever e responsabilidade do Estado na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.


O perigo da demora (periculum in mora), fator necessário para justificar a liminar, uma vez que se trata de um instrumento judicial rápido, também está presente no caso, conforme analisou o juiz. “É fato inconteste que a não realização de providências urgentes no presente caso poderá acarretar prejuízos irreparáveis a população deste município”.


A assessoria da SSP-GO afirmou que o órgão ainda não foi notificado da decisão.


Fonte: Mais Goiás

000-A-Banner WhatsAppecontatos-RadioEldorado

Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax