1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

MINEIROS | BRF anuncia que vai desativar linha de produção no município

Por Marcelo Justo 12 Junho 2018 Publicado em Mineiros
Votao
(1 voto)
Lido 6428 vezes
Unidade Mineiros Unidade Mineiros Marcelo Justo/R. Eldorado

A BRF vai desativar sua linha de produção de perus no município de Mineiros (GO).


A informação foi dada nesta terça-feira (12/06), em audiência pública no Senado, pelo CEO da empresa no Cone Sul e vice-presidente de eficiência corporativa, Jorge Lima.


Segundo ele, o grupo, líder no mercado em carnes de aves, foi duramente atingido pelas últimas barreiras adotadas por União Europeia, Arábia Saudita e, mais recentemente, China.


— O Brasil está sob ataque. Há um ataque frontal cujo objetivo é reduzir preços e diminuir nossas exportações. A questão é que não temos mais para onde vender — disse Lima, acrescentando que grandes países consumidores, como os Estados Unidos, são auto suficientes na produção de perus.


Uma das maiores companhias de alimentos do mundo, a BRF possui mais de 30 marcas, entre elas Sadia e Perdigão. A empresa reúne cerca de 13 mil produtores integrados, mais de 30 mil fornecedores (4 mil apenas de grãos, farelos e óleos), 240 mil clientes em todo o mundo e 110 mil empregados.


A BRF esteve envolvida na Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal em março de 2017, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio.


Um ano depois, a PF anunciou a Operação Trapaça, em que o nome do grupo apareceu novamente. Isso causou o embargo pela União Europeia.


— Investigação tem que ter nome e CPF. Não se pode culpar a BRF, se alguém fez alguma coisa errada — disse o representante da empresa.


Ele disse que a BRF está refazendo seu parque fabril, especificamente no estado de Goiás.


Afirmou que a empresa voltará a operar em Rio Verde (GO), após as férias coletivas, mas não tem mais como manter a linha de perus, em Mineiros (GO).


Garantiu, ainda, que a produção de frangos, suínos e outros produtos continuará.


De acordo com Jorge Lima, o jogo dos compradores internacionais é pesado: na União Europeia, o embargo à carne de frango tem à frente França e Holanda.


A televisão francesa, ressaltou, tem veiculado propaganda contra a carne brasileira, ilustrou.


— Já a China está nos forçando a reduzir preço e exportação — afirmou, lembrando que a Arábia Saudita passou a fazer exigências fora dos padrões normais no mercado halal, voltados para os muçulmanos.


Também presente na audiência pública, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que o que está ocorrendo em Goiás reflete o que passa o Brasil.


Enfatizou que o país tem aumentando sua produção e exportação de proteína animal, o que inclui carnes de frango, bovina e suína.


E, na medida em que há esse crescimento, concorrentes internacionais ficam incomodados.


— À medida que o Brasil vai se tornando mais competitivo, vamos atraindo mais raios sobre nós, mais atenção sobre nós. Vamos crescendo e recebendo pancadas.


Leia também:
Brasil estuda retaliar China por sobretaxar frango do Brasil, afirma Blairo Maggi


Fonte: O Globo (com adaptações)

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado1