1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Estudantes preparam manifestação contra corte nas instituições federais em Goiânia

Por Lucas Silva 09 Junho 2022 Publicado em Educação
Votao
(0 votos)

Entidades representativas de estudantes professores e trabalhadores técnico-administrativos irão realizar um ato contra o corte no orçamento das instituições federais de ensino anunciado pelo governo. A manifestação acontecerá nesta quinta-feira (9), às 15 horas, na Praça Universitária.

 

O corte, que equivale a 14,5% do orçamento, será aplicado linearmente a cada universidade, instituto ou entidade ligada ao MEC. A Universidade Federal de Goiás (UFG) se manifestou sobre o assunto, ressaltando que “a situação é grave e põe em risco real o pleno funcionamento da UFG, que já sofre com a falta de recursos para manutenção de seus prédios e laboratórios”.

 

De acordo com a diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE), Thaís Falone, o bloqueio da verba irá fazer falta tanto para as necessidades básicas das instituições de ensino quanto a programas de assistência estudantil.

 

“Esse corte é o dinheiro que vai faltar para pagar despesas básicas como conta de água, manutenção dos prédios, segurança, energia, entre tantas outras. Além disso, também vai atingir as bolsas e auxílios de assistência estudantil, sobretudo para os estudantes cotistas de baixa renda”, disse a diretora.

 

UFG se manifestou sobre cortes nas instituições federais

 

A Universidade Federal de Goiás (UFG) se manifestou sobre o bloqueio de R$ 3,2 bilhões no orçamento do Ministério da Educação (MEC), que foi anunciado na semana passada pelo governo federal. “A UFG, com este corte, perde 10,8 milhões de custeio e investimento e mais 4,8 milhões da verba do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), que financia a assistência estudantil”, publicou hoje em suas redes sociais.

 

Para a instituição, “a ação impossibilita honrar os compromissos assumidos e as atividades planejadas, o que torna incerta a conclusão do ano letivo”.

 

Na ocasião dos cortes, o governo disse se tratar de um contingenciamento necessário para o cumprimento do teto de gastos. A medida criada no governo de Michel Temer (MDB) limita o crescimento de gastos públicos. Em todo o governo, R$ 14 bi devem ser bloqueados. O valor servirá para garantir reajuste de 5% aos servidores públicos federais neste ano eleitoral.

 

O MEC, por sua vez, enviou documento às universidades revelando o bloqueio R$ 3,23 bilhões (14,5% de toda a verba de uso discricionário de 2022). Por ser linear, como já mencionado, impacta em 14,5% cada entidade ligada ao ministério.

 

Mais Goiás

Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax