1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE
K2_DISPLAYING_ITEMS_BY_TAG Governo

O repórter Sidney Pereira entrevistou José Irineu, filho de Lisandro de Oliveira, que recebeu juntamente com sua família, no dia 21 de fevereiro, uma medalha de gratidão por participar da força brasileira em prol dos aliados.

 

Seu Elizandro, mineirense,  era pedreiro, homem simples, mas que em 1944 foi convocado para combater junto com os países aliados. O mineirense ficou na história da cidade deixando legado ao participar da força expedicionária brasileira para combater juntamente com os países aliados.

 

Hoje a família tem orgulho de seu Lisandro e recebe  do Ministro do Estado da defesa essa medalha daa vitória histórica.

 

Ouça a entrevista com José Irineu:

K2_PUBLISHED_IN Mineiros

O Ministério da Saúde decidiu reduzir de dez para sete dias o período recomendado de isolamento para pacientes com covid-19. Em entrevista coletiva dada no início da noite desta segunda-feira (10), o ministro Marcelo Queiroga anunciou a nova recomendação do governo. Segundo a atualização do guia de vigilância epidemiológica para a covid-19 da pasta, caso não haja mais sintomas no sétimo dia, a pessoa pode sair do isolamento.

 

Existe ainda uma possibilidade de encurtar ainda mais o tempo de isolamento. Caso no quinto dia o paciente não tenha mais nenhum sintoma respiratório, não apresente febre e esteja há 24 horas sem usar medicamento antitérmico, ele pode fazer um teste rápido de covid-19. Se o teste der negativo para o vírus, ele também está liberado.

 

Se, no entanto, o teste der positivo, o paciente deve aguardar até o fim dos dez dias de isolamento. Para quem chegou ao sétimo dia e ainda tiver com sintomas do vírus, a recomendação é manter o isolamento, no mínimo, até o décimo dia e sair apenas quando os sintomas acabarem.

 

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, o Ministério da Saúde usou como parâmetro as medidas de isolamento aplicadas nos Estados Unidos e no Reino Unido. No primeiro, o isolamento termina após cinco dias caso não haja mais sintomas. No segundo, o tempo de isolamento é de sete dias, comprovado o fim da infecção com um teste negativo.

 

Na avaliação de Queiroga, a vacinação no Brasil tem avançado a ponto do governo reduzir o período de isolamento. “Como o Brasil tem avançado muito na campanha de vacinação, em relação ao número de doses de reforço, a população das grandes metrópoles está muito vacinada, podemos vislumbrar um cenário aqui no Brasil mais parecido com o que acontece em países como Reino Unido”.

 

Além disso, o governo tem se baseado no número de óbitos, que não tem aumentado na mesma proporção da contaminação pela variante Ômicron do novo coronavírus. “A ômicron tem causado um número muito maior de casos, mas felizmente não há correspondência com o número de óbitos”.

 

#Com informações da EBC

K2_PUBLISHED_IN Brasil

O Governo de Goiás investiu R$ 28,8 milhões para a fabricação de 550 mil mochilas escolares, que serão distribuídas a todos os alunos da rede estadual de educação. A primeira leva, de 3 mil exemplares, já chegou às mãos dos estudantes das comunidades indígenas e quilombolas das Regionais de Aparecida de Goiânia, Piracanjuba, Trindade, Goiás, Formosa, Uruaçu, Rubiataba, Minaçu e Itapaci. 

 

Os demais serão contemplados a partir do dia 17 de janeiro do próximo ano, quando terá início o primeiro semestre letivo de 2022. Além das mochilas, os matriculados na rede estadual já recebem uniforme, tênis e kit de material escolar. “Isso é garantir dignidade e cuidar dos nossos alunos, dar condições a eles de sentir orgulho de estudar”, afirma o governador Ronaldo Caiado. “A educação precisa ser estimulada para as pessoas terem nela uma real perspectiva de mudança de vida”, completa. 

 

Somada aos uniformes, tênis e kits de material escolar já recebidos pelos estudantes, a distribuição das mochilas tem como principal objetivo criar uma padronização na rede, de forma que os alunos de uma instituição de ensino estadual possam ser facilmente identificados dentro ou fora do ambiente escolar. Nesse aspecto, atende-se também a uma outra questão importante, que é a segurança. 

 

Kits de material escolar 

 

Em fevereiro de 2021, o Governo de Goiás iniciou a distribuição de 580 mil kits de material escolar para os alunos do Ensino Fundamental. Cada kit é composto por 3 cadernos universitários (200 folhas), 1 caderno de cartografia (90 folhas, 4 lápis, 2 canetas, 2 borrachas brancas, 1 caixa de lápis de cor (12 cores), 1 apontador com reservatório e 1 vidro de cola líquida. O valor total do investimento foi de R$ 15,7 milhões. 

 

Posteriormente, para complementar os 474 mil conjuntos de uniformes entregues até o início de 2021, foram adquiridos 78.893 pares de tênis. A distribuição teve início em agosto deste ano.

 

#Com informações do Governo de Goiás 

K2_PUBLISHED_IN Estado

O governo do Estado divulgou novo decreto para regulamentar o funcionamento de atividades econômicas em Goiás. O documento libera o comércio para abrir em turnos de 6 horas por dia.

Entre os pontos mais importantes estão: bares e restaurantes podem atender até 50% de sua ocupação máxima; igrejas podem celebrar cultos e missas com 30% de sua  capacidade, jogos esportivos podem acontecer, desde que com os portões fechados;  os salões de beleza, barbearias, academias, camelódromos e congêneres também estão restritos a 30% de sua capacidade; as indústrias podem funcionar por um turno (regra que não vale para aquelas que tratam da produção de insumos essenciais); hotéis podem funcionar com até 65% de sua capacidade.

Fonte: Mais Goás

K2_PUBLISHED_IN Estado

O Governo de Goiás anunciou nesta terça-feira (15/12) que irá reduzir para 20% a multa cobrada pelo não pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) na data correta. Antes, a multa era de 50%. 

 

Caiado ressaltou em sua justificativa que o novo percentual está em patamar mais justo e compatível com a realidade nacional neste momento de crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19. As alterações, continuava o texto, “não implicam riscos ao equilíbrio fiscal do Estado de Goiás” nem geram renúncia de receita.

 

O PL aprovado nesta terça-feira altera a Lei n° 11.651/91, que instituiu o Código Tributário do Estado de Goiás, e ainda a Lei n° 16.469/19, que regula o processo administrativo tributário. A mudança no percentual não vale para multas já aplicadas. 

Esta é a segunda redução na multa cobrada por atraso no pagamento do IPVA. No começo deste ano, o percentual já havia sido diminuído de 100% para 50% do valor do imposto.

 

Dados da Secretaria da Economia apontam que a média anual de inadimplência do IPVA em Goiás é de 12%. Porém, não há dados fechados deste ano. O IPVA representa 6% na arrecadação total do Estado, que já arrecadou R$ 1,5 bilhão até o início de dezembro, com incremento de aproximadamente 3% em relação ao mesmo período de 2019, mesmo com a pandemia.

 

Fonte: Diário De Goiás

 
K2_PUBLISHED_IN Estado

A estimativa para o salário mínimo em 2021 que o governo pretende aumentar é de R$ 1.088. O valor consta de mensagem modificativa ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano, que deverá ser votado hoje (16/12) pelo Congresso.

 

O valor representa R$ 21 de aumento em relação à projeção de R$ 1.067 que constava da proposta do Orçamento Geral da União, enviada ao Congresso no fim de agosto. 

 

Segundo o projeto da LDO, cada R$ 1 de aumento do salário mínimo eleva a previsão de gastos do governo em R$ 355 milhões. Isso porque diversos gastos, como o piso dos benefícios da Previdência Social, o abono salarial e o seguro-desemprego, estão atrelados ao salário mínimo. Dessa forma, a alta de R$ 21 impacta as despesas federais em R$ 7,4 bilhões.

 

De 2012 a 2019, o salário mínimo era reajustado por uma fórmula que seguia a variação do INPC do ano anterior mais o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) registrada dois anos antes. O mínimo de 2020 em diante passou a ser corrigido apenas pelo INPC do ano precedente, de forma a não descumprir a Constituição.

 

Fonte: Diário de Goiás

K2_PUBLISHED_IN Brasil

Os profissionais da rede estadual de educação receberão na folha de pagamento de dezembro uma ajuda de custo. O anúncio foi feito pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) e beneficiará servidores efetivos, comissionados e contratos temporários da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que vão receber um valor proporcional aos meses trabalhados em 2020 e à carga horária de cada um.

 

“O nosso tratamento é igualitário. Seja o porteiro, aquele que está na cantina, na cozinha, na segurança da escola ou o professor”, enfatizou o governador, durante o anúncio.

 

Essa é uma forma de o Governo de Goiás valorizar os profissionais da educação que tiveram custos extras com aquisição de equipamentos e aumento do uso de dados de internet durante o Regime Especial de Aulas Não Presenciais (REANP), em razão da pandemia da Covid-19, e também em reconhecimento ao esforço dos educadores no resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Pagamentos

 

A ajuda de custo será repassada a todos os quase de 40 mil servidores da educação no Estado. O repasse será feito de acordo com a carga horária do servidor. Quem faz 20 horas, vai receber R$ 1.297,00; 30 horas, o valor é de R$ 1.945,00; e para 40 horas, R$ 2.591,00.

 

Ao todo, o Estado irá designar R$ 92,1 milhões para reconhecer e valorizar os profissionais da educação. Se o servidor alterou a carga horária durante o ano será realizada uma média para o pagamento da ajuda de custo.

 

Fonte: Jornal Opção

K2_PUBLISHED_IN Estado

As instituições de segurança pública de Mineiros, tanto a Polícia Militar (7ª CIPM) como o Corpo de Bombeiros (6ª CIBM) registram diariamente diversos acidentes de trânsito.

Vários fatores podem explicar essa proliferação de batidas. O próprio desenvolvimento acelerado de Mineiros, por exemplo, pode ser responsabilizado por estar trazendo este problema típico de cidade grande para nossa região. Muitos podem sair comentando nas ruas que o governo local não acompanha esse crescimento. É uma hipótese, entre tantas.

No entanto, grande parte dos acidentes de trânsito ocorridos nas nossas Ruas e Avenidas é causada por apenas um único fator: a falta de atenção. São acidentes ‘bobos’, mas que podem se tornar grandes tragédias, como esta: (clique aqui e saiba mais).

Ontem (29), na Avenida Coqueiros, no Setor Santa Isabel, um motociclista teve que jogar sua moto na calçada para evitar uma colisão lateral com outro veículo. Com a manobra, ele caiu e acabou tendo ferimentos em todo o corpo, inclusive uma luxação no ombro direito. A 6ª CIBM fez o resgate e o encaminhou ao Hospital das Clínicas Dr. Neves.

“Acidentes como esse podem ser tranquilamente evitados. É preciso que os motoristas respeitem as regras do trânsito e dirijam com prudência e máxima atenção”, avalia o assessor de comunicação da 6ª CIBM, sargento Neves.

Ainda em Mineiros, ontem, por volta das 12h, um acidente de trânsito entre uma moto Biz e um Gol, no cruzamento da Rua 20 com a 5ª Avenida, deixou uma jovem de 20 anos com diversas escoriações e uma contusão no pé esquerdo. A equipe de resgate socorreu a moça e a encaminhou ao Hospital Nossa Senhora de Fátima. 

Não estou falando que todos os motoristas citados nestes acidentes dirigem ou dirigiram sem atenção. O que acho importante ressaltar é a constante necessidade de se redobrá-la. Em tempos de ruas esburacadas, sem sinalização (clique aqui e entenda), é preciso andar totalmente ‘antenado’.

Siga-nos no Twitter e no Facebook
Twitter - Facebook

K2_PUBLISHED_IN Mineiros

Reportagem publicada no jornal O Popular destaca o grande aumento do número de funcionários comissionados no estado.

Confira a matéria:

Dez meses depois de anunciar cortes na estrutura administrativa por conta das dificuldades financeiras do Estado, o governo recriou cargos comissionados e aumentou salários em 1.823 vagas do quadro de auxiliares. Lei publicada em suplemento do Diário Oficial do dia 3 estabelece 1.616 novos cargos e reajustes salariais de até 330%.
O projeto de lei original continha apenas dois artigos e previa a criação de 12 cargos na Secretaria de Segurança Pública (SSP). Durante a tramitação, porém, sofreu modificações por emenda do líder do Governo, Helder Valin (PSDB), que adicionou dez artigos na proposta, alterando todo o teor. As mudanças passaram despercebidas pela bancada da oposição.

A Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), responsável pela proposta de alterações na estrutura administrativa, admite impacto financeiro de, pelo menos, R$ 27,73 milhões por ano, considerando o preenchimento de todos os novos cargos. O cálculo inclui R$ 19 milhões de cargos de assessoramento, com o restante referente a aumentos de salários para cargos de chefia.

A lei, que tem efeito retroativo a 1º de agosto, prevê a recriação de 1.000 cargos de assessoramento extintos no início do ano, com aditamento de três quintos, o que representa mais 600 vagas. Além disso, garante aumento salarial para 259 ocupantes de cargos de chefia e para 1.564 vagas de assessoramento.

O titular da Segplan, Giuseppe Vecci, disse ontem ao POPULAR que o governo estadual viu necessidade de recriar os cargos após o processo de modulação, que definiu o quantitativo de vagas por órgão. "Vimos que ficaram faltando cargos em muitas pastas, especialmente no interior, e que eram necessárias adequações. Temos demandas grandes, como nas áreas de saúde, meio ambiente, Vapt Vupt, cidadania. Chegamos à conclusão de que exageramos no processo de extinção dos cargos", diz.

Em relação aos aumentos salariais, Vecci afirmou que os ocupantes de cargos de chefia estavam com salários defasados. Ele lembra que os secretários estaduais e superintendentes executivos tiveram aumentos salariais em dezembro do ano passado, na mesma lei que garantiu reajuste aos salários de governador e deputado estadual. "Já os demais cargos, como superintendentes e diretores, não tiveram aumento e continuam com os mesmos salários de 2002", disse.

O secretário disse ainda que o governo tem de estar "atento ao mercado para não perder funcionários para a iniciativa privada". Questionado sobre cargos criados na reforma administrativa deste ano, como de chefes de Comunicação Setorial e Advocacia Setorial, e que terão aumento de 33% (de R$ 7,5 mil para R$ 10 mil), Vecci afirmou que os cargos têm o mesmo símbolo de chefe de gabinete (CDS-5). "Aí o aumento acaba beneficiando todos eles", afirmou.

Dúvidas

No artigo 5º da nova lei, o governo estadual transforma 1.564 cargos de Assistente de Gabinete em Assessor Especial. A mudança representa aumentos salariais com variações entre 287% e 330%. Assistente de Gabinete C, referência II, por exemplo, tem o pagamento elevado de R$ 547 para R$ 2.356. Já o Assistente de Gabinete F, referência V, passa a receber R$ 5 mil, enquanto antes o salário era de R$ 1.290.

Vecci afirmou não saber informar o impacto financeiro da mudança. Segundo cálculos feitos pela reportagem, com base nos salários fixados pela Lei Delegada número 3 - que define os subsídios dos cargos de assessoramento -, o impacto mensal seria de R$ 3,1 milhões. O secretário viu a tabela feita pela reportagem, mas disse que não tem informações sobre o aumento.

Na Casa Civil, também não há informações sobre o impacto da medida. A lei afirma que os cargos estão vagos atualmente. Se for considerado o gasto zero atual e o preenchimento de todos os cargos, o impacto subiria para R$ 4,1 milhões mensais.

Autor da emenda, Helder Valin também não soube explicar o artigo que trata da transformação dos cargos. Ele afirma ter recebido informações do governo de que as mudanças não implicariam em novos gastos.

K2_PUBLISHED_IN Estado
Instagram Radio EldoradoTwitter Radio Eldorado

 

Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro
Parceiro

Real Pax